nsdfjk Morar com os pais até tão tarde porque razão?

Morar com os pais até tão tarde porque razão?

O mundo mudou e a forma de o encarar também. Hoje em dia morar com os pais deixou de ser uma escolha para passar a ser quase uma obrigação. Todos nós somos bombardeados de histórias de pessoas com quase 30 anos ou mais e que ainda não saíram da casa dos pais. As razões podem ser muitas e em grande parte dos casos, estas pessoas são alvo de gozo por parte dos “amigos” e vítimas de falatório nas costas. Todos sabemos como é fácil criticar sem que se conheçam as reais razões para o problema.

Hoje em dia tudo parece mais incerto. O emprego. As relações. Os investimentos. Tudo isso contribui de certa forma para que seja mais difícil para uma pessoa se lançar sozinha para a vida. Existem até muitas outras que decidem sair de casa dos pais mas que mais tarde são obrigadas a regressar. Ou porque perderam o emprego. Ou porque o suposto investimento não correu como desejariam. Várias podem ser as razões e é mesmo nelas que nos vamos focar hoje para que juntos consigamos perceber porque razão ainda existem tantas pessoas a morar com os pais, mesmo contra a sua vontade.

morar com os pais

Estima-se que cerca de 44,5% das pessoas com idades compreendidas entre os 25 e os 34, ainda vivam com os pais em Portugal (Eurostat).

O que leva estes jovens a ficar até tão tarde na casa dos pais? Ou melhor. Porque razão volta a casa a “geração kanguru” ou “geração boomerang” como já se apelida?

O que leva cada vez mais jovens a morar com os pais?

  • Dificuldade em assumir responsabilidades – Grande parte das pessoas hoje em dia têm dificuldade em assumir as responsabilidades de uma vida adulta. Muitos não sabem sequer cozinhar, tratar das compras, fazer pequenas reparações em casa ou o peso das contas ao final do mês. É natural quando nunca passaram por isso mas revela igualmente uma grande falta de interesse por parte dos mesmos. O saber não ocupa lugar. Sempre me foi ensinado isso e se sempre vivemos uma vida sem grandes responsabilidades a altura de sair de casa pode ser verdadeiramente assustadora.

Provavelmente é errado afirmar que a culpa é dos pais (em parte deve ser), mas os próprios filhos têm também grande parte da culpa, por falta de iniciativa e também por comodismo. Em muitos casos a entrada na universidade é a chave para se ganhar mais responsabilidade, embora se lide com dinheiro dos pais (não em todos os casos), é necessário fazer uma gestão do mesmo, pagar alojamento e tratar de algumas contas. É também necessário aprender a tratar da roupa, da comida, etc, pelo menos se não quer viver uma vida a comer comida feita no microondas.

  • A acomodação e roupa lavada – Muitos jovens acabam por se habituar à ideia de ter roupa lavada, comida feita e contas pagas. Se formos ver bem é o sonho de qualquer pessoa não? O dinheiro ganho pouco se gasta. A pessoa tem poucas preocupações. É possível viver uma vida que provavelmente não teríamos se já tivéssemos saído de casa e estivéssemos por nossa conta e risco.

Para as saídas com os amigos ao fim de semana e em muitos casos também durante a semana não falta dinheiro. Para ter o carro que dá nas vistas por toda a cidade e deixa os amigos roídos de inveja, também não. Claro que uma pessoa se acomoda… Mas é necessário também colocar a mão na consciência e perceber que estamos a viver à custa dos nossos pais. Estamos a viver à custa de alguém que muito provavelmente também tem sonhos e ainda não os conseguiu realizar. Para além disso, todas as pessoas precisam da sua privacidade. Pense nas outras pessoas e não olhe apenas para o seu umbigo.

  • O mercado de trabalho está complicado – Diz-se que hoje em dia já não se arranja emprego, apenas trabalho. Por outro lado é também bastante complicado acabar um curso e começarmos a trabalhar automaticamente naquilo para o qual estudámos. Muitas pessoas recusam-se a trabalhar em algo que não seja aquilo para o qual estudaram. Torna-se difícil (muitas vezes impossível), arranjar um trabalho dessa forma. Sem trabalho não há dinheiro, muito menos perspectivas para o futuro e acaba-se por ficar na casa dos pais.

Hoje em dia faltam pessoas que não se importem de começar por baixo (o que não significa que sejam escravizadas) ou em aceitar empregos um pouco deslocados daquilo para o qual estudaram. Não digo que seja o mais certo, é apenas aquilo que precisa ser feito. Por outro lado falta também força e em grande parte dos casos dinheiro, para se conseguir arrancar com um negócio próprio. Existem muitos casos de pessoas que até têm ideias mas que não as conseguem por em prática ou casos de pessoas que se fizeram à vida, experimentaram criar negócios mas que as coisas não correram como queriam. Toda esta situação dificulta a saída de casa.

morar com os pais

  • Dinheiro ganho = dinheiro gasto – As saídas com amigos são importantes. Um carro para andar por aí também tem a sua importância. As férias para relaxar a cabeça também. O seu telemóvel super caro também. Mas onde fica a poupança de dinheiro no meio disso tudo? Claro que eu estou a exagerar, embora existam casos assim na realidade. Pessoas que embora ainda estejam na casa dos pais vivem com tudo do bom e do melhor.

Muitas pessoas não conseguem sair da casa dos pais porque pura e simplesmente não conseguem poupar dinheiro e como tal criar uma base financeira de segurança. Segurança apenas! Ninguém vive muito tempo com algum dinheiro guardado, mas pode ser muito bem usado durante algum tempo ou para ajudar caso algum mês corra menos bem ou surja algum imprevisto (supondo que a pessoa tem emprego). As pessoas, sobretudo os jovens, querem cada vez mais viver o momento. Trabalham. Recebem. Gastam. Preocupam-se apenas em viver um dia de cada vez e vivendo segundo esse pensamento muito raramente se preocupam em pensar no futuro ou em fazer planos ou poupanças para o mesmo.

Acredite que nem todas as pessoas têm possibilidade de juntar algum dinheiro enquanto está na casa dos pais. Se é uma das pessoas que até consegue juntar alguns euros, aprenda a poupá-los e agradecerá no futuro. Este é o conselho que gostava de ter ouvido há uns anos atrás.

  • Hoje torna-se difícil fazer planos – Se for olhar para tudo aquilo que disse anteriormente muito provavelmente chegará à conclusão de que hoje em dia é muito complicar fazer-se planos. Agora junte a isto tudo que eu disse anteriormente outra pessoa na sua vida. Imaginando que nenhum dos dois trabalha ou que trabalham em locais diferentes. Torna-se um pouco complicado conciliar as duas vidas num cenário assim não? Mesmo assim não é impossível.

Muitas das vezes é necessário arriscar. A vida a dois traz muitas mudanças e muitas responsabilidades. Tarefas novas. Divisão das mesmas. Gestão do dinheiro. E todas as outras coisas. Embora pareça bastante complicado não é de todo impossível.

  • Esperam pelo momento perfeito para sair – Não existe momento perfeito para se sair e aí é que reside o problema. Vejo muitos amigos meus nessa situação, na procura do momento certo para isto e para aquilo. Todos sabemos o quanto custa sair da nossa zona de conforto e experimentarmos coisas novas. Sobretudo quando podem correr mal. Vão existir provavelmente alturas mais favoráveis e mais estáveis, mas nunca perfeitas. Por vezes é necessário arriscar.

Atenção

A vida não é igual para todos. Nem todos têm as mesmas oportunidades. Nem todos têm a mesma sorte. Este artigo não é de todo um “ataque” a quem se encontra nesta situação, caso contrário estaria a atacar-me a mim próprio. É sim uma lista de algumas razões que poderão justificar esta situação.

E vocês têm mais razões? E ideias para alterar esta situação?

Pessoas dos 25-34 anos a morar com os pais.

mapa de pessoas a morar com os pais

Deixar um Comentário

Seja o primeiro a comentar!

Notify of
avatar

wpDiscuz