Comprar casa ou alugar casa?

Ultimamente tenho discutido bastante com amigos sobre a ideia de comprar casa ou alugar casa. Não conseguimos chegar a um consenso! Conheço quem defenda que estando nós em Portugal e devido à situação do país que nem sabemos se algum dia vamos ter reforma, devemos de todo comprar uma casa. Existe quem por outro lado ache que o melhor é uma pessoa manter-se longe de dívidas e de pagamentos de uma vida (sim porque hoje em dia comprar uma casa apenas com um pagamento torna-se complicado), poderá ser a melhor opção. Decidi pesquisar e escrever um pouco sobre uma e outra coisa, até para que consigamos chegar a alguma conclusão sobre o assunto.

A vossa participação é essencial para percebermos mais facilmente qual a melhor opção. Quantas mais opiniões tivermos, mais rica se tornará a informação. Por isso, se tiverem opiniões que achem que podem enriquecer esta “discussão” não se esqueçam de deixar nos comentários.

Comprar casa ou alugar casa

Conheça 5 erros na hora de comprar casa

Comprar casa

As pessoas geralmente crescem, começam a pensar em formar família e em comprar casa. Geralmente os nossos amigos já casados, os nossos pais ou outras pessoas de mais idade, não têm dúvidas ao dizer “não queres ter algo teu para além de um carro?”; “não estás farto de gastar dinheiro a pagar uma renda por uma casa que nunca vai ser tua?”. São vários os argumentos. Mas embora sejam argumentos válidos, não fazem sentido para toda a gente. A verdade é que esta é uma decisão bastante grande e nem sempre é pacífica. Acho que cada pessoas deve tentar perceber o que é melhor para si e sobretudo o que mais se adequa. Existe pessoas para quem seja importante “ter algo”, mais não seja para deixar aos filhos e outras pessoas que costumam dizer que “quando morrem não levam nada”, por isso, lá está… complicado!

Segundo o que tenho lido, o que tenho visto e discutido com colegas, aqui ficam algumas coisas a ter em consideração:

Custo associado à compra de uma casa – Comprar uma casa tem os seus custos e são bastantes. Desde despesas de manutenção (que existem e muitas vezes as pessoas ignoram), até impostos como o IMI ou seguros, vão fazer a diferença no final do mês. A compra de casa tem também vários encargos: a escritura, impostos e uma data de chatices se você recorreu a um crédito junto com o banco.

Nem todos desejam esperar tanto – Nem todas as pessoas desejam esperar cerca de 30 anos, mais coisa ou menos coisa, para poder dizer “agora a casa é minha” ou “agora que estou quase na idade da reforma tenho finalmente uma casa”. As pessoas estabelecem as suas prioridades e nem toda a gente tem a compra de uma casa como uma. Somos todos diferentes e como tal todos desejamos coisas diferentes.

Atualmente nunca se sabe onde vamos parar – O mundo mudou e hoje em dia roda muito em volta do mundo do trabalho. Basta olhar para os seus amigos de infância, onde estão eles hoje? Não os foi perdendo ao longo do tempo porque foram para lugares completamente diferentes? É o mundo em mudança. Vejo muitas pessoas a dizer (e muitas com razão), que é complicado estar a investir numa casa numa cidade, para passados alguns anos não ter emprego e ter de ir para outro local, quem sabe até para o estrangeiro.

E se por acaso perco o emprego? – Esta é outra questão. Uma coisa é ter dinheiro para investir, tanto no pagamento inicial como nas sucessivas prestações. Outra é estar numa situação de rico e querer comprar porque acha a atitude correta, embora não tenha medido as reais consequências de uma perda de emprego. Caso você esteja numa luta sozinho(a), perder o emprego poderá colocá-lo em grandes problemas e poderá até ver “cair por terra” todo o seu esforço. O mais aconselhado é que consiga fazer a compra da casa no mínimo de tempo possível, porque por exemplo, a 30 anos, muitas coisas poderão acontecer.

O estado do mercado – Por outro lado, o mercado hoje mudou e é possível (em alguns casos), encontrar casas mais baratas ou bons negócios. Esta pode ser uma boa altura para procurar comprar casa, se tiver dinheiro para investir. Nem sempre acontece, mas em alguns casos no final do pagamento e já quando a casa for sua, esta pode valorizar, sendo que também poderá acontecer o contrário. Mas estar atento às mudanças do mercado é essencial para quem procura comprar casa.

Pagar uma casa alugada é diferente de pagar prestações de uma casa – Estar a pagar a renda numa casa alugada é muito diferente de estar a pagar uma prestação de uma casa. Quando se está numa casa alugada, nós pagamos um valor (que pode variar ao longo dos anos), mas as preocupações maiores (condomínios, reparações, etc), estão (na maioria das situações), nas mãos do senhorio. Por outro lado, quando estamos na compra de uma casa, é necessário que nos lembremos que é necessário pagar os vários impostos, as reparações, condomínio e afins, que podem ser uma grande dor de cabeça.

Na maior parte dos casos implica um empréstimo – O grande problema está aqui. Na maior parte dos casos a compra de uma casa implica que façamos um empréstimo no banco. Como devem calcular é bastante complicado para uma pessoa acabada de sair de casa, com pouco dinheiro guardado e com poucas expectativas acerca de oportunidades de trabalho a curto prazo, se colocar numa situação destas que facilmente poderá correr mal. Nestes casos o arrendamento parece uma opção mais realista e simplificada, embora não queira com isso dizer que seja a mais correta.

Paguei a casa e agora é minha – Excelente! Acabaram-se as prestações! Agora sim deve estar contente e finalmente poderá viver mais desafogado em termos de dinheiro. Claro que ainda terá as contas para pagar, a possível manutenção e afins, mas terá agora consigo algum patrimônio e não só isso. Você tem uma casa que é sua, que pode deixar para os seus filhos ou quem sabe vender no futuro. Por outro lado, se pretende fazer obras poderá fazer e não tem de pedir opinião a ninguém. Se quer pintar a sua parede na sala de vermelho pinta! Não tem de pedir autorização ao senhorio. Esta é uma das grandes vantagens. Tem uma maior margem de manobra.

Comprar casa ou alugar casa

Alugar casa

Uma tendência cada vez mais atual, devido à sua facilidade e flexibilidade. Oferece várias vantagens, embora também apresente alguns inconvenientes. Bom para quem não procura muitas complicações e pagamentos mais simplificados. Má opção para quem quer ter uma casa no futuro.

Aqui ficam algumas coisas que se deve ter em consideração:

Menos complicações – As contas de luz, eletricidade, água e afins, estão na maioria dos casos incluídas na renda, assim como, a manutenção, o imposto e tudo o resto. Isso significa obviamente menos complicações para si, sendo que é o senhorio que trata desses assuntos (dependendo do contrato feito com o mesmo). Isso de certa forma irá tirar algum peso das suas costas.

Mais flexibilidade – Se não estiver bem no sítio ou precisar de se mudar por alguma razão. Poderá fazê-lo mais facilmente e procurar outro lugar que lhe seja mais conveniente. Se está num processo de compra de casa a situação pode ser bem mais complicada e difícil de resolver.

A crescente oferta – A oferta de casas para alugar tem vindo a crescer ao longo dos anos (presumo eu) e como tal, hoje em dia é bem mais fácil encontrar um bom negócio. Se a oferta aumenta é natural que os preços tenham de descer e dependendo da cidade em que deseja viver e sobretudo da zona, poderá encontrar preços bastante apelativos.

A maioria vem mobiliado – Esta é uma grande vantagem, sendo que na maioria dos casos basta chegar e começar a habitar. Já tendo na casa tudo o que precisa para viver na mesma, não gastará dinheiro em móveis, eletrodomésticos e todos esses bens essenciais.

O dinheiro poupado pode ser investido – Se a renda for baixa (quando comparada com a compra de uma casa com empréstimo e afins), poderá tentar poupar o restante dinheiro, investi-lo ou simplesmente guardá-lo. Passados cerca de 30 anos, poderá não ter uma casa, mas pode por outro lado ter algum bom dinheiro poupado ao longo dos anos.

O valor inicial é muito mais baixo – O valor que tem de pagar inicialmente numa casa alugada (geralmente uns 3 meses de renda ou algo do gênero), é bastante inferior a uma mensalidade inicial para a compra de uma casa (hipoteticamente 20 ou 30 mil euros). Claro que para uma pessoa com menos dinheiro, alugar uma casa será uma decisão mais realista.

Pouca liberdade para mudanças – Numa casa alugada muito dificilmente poderá fazer mudanças significativas. Não pode pura e simplesmente chegar e pintar as paredes de cor diferente sem antes consultar o senhorio. Não pode tirar todas as coisas de uma divisão e criar um ginásio sem também consultar o senhorio. Fica assim com menos margem de manobra para mudanças.

Terá pagamentos para sempre – Ao contrário da compra de uma casa, aqui você terá pagamentos que durarão para sempre. Presumindo que você não pretende viver debaixo da ponte e que viverá toda a sua vida em casas alugadas, terá sempre de pagar a renda, passem 30, 40 ou 50 anos.

Poderá viver numa área que não tem possibilidade para comprar – Por outro lado, imaginando que você não tem dinheiro para comprar uma casa no centro de Lisboa, talvez terá dinheiro para a alugar. Alugar uma casa é uma possibilidade de viver numa zona onde você gostaria de viver, mas que pura e simplesmente não tinha dinheiro para adquirir uma casa.

Poderá ser expulso sem razão – Este é um grande problema quando se vive numa casa alugada: a falta de segurança. A verdade é que você poderá ser expulso sem nenhuma razão, porque você não é realmente o dono da casa. O seu senhorio pode querer vender a casa ou dá-la aos filhos ou qualquer outra razão que obrigue a que tenha de abandonar a mesma. Uma saída da mesma implicaria uma nova procura e quem sabe uma mudança de hábitos.

Como fará quando entrar na reforma? – Muitos amigos meus me fazem esta pergunta: como irá ser quando entrares na reforma? Hoje em dia estamos mais que habituados a ver situações complicadas envolvendo reformados que mal recebem para pagar uma renda. O mesmo lhe pode acontecer a si. Claro que a solução para este problema seria poupar ao longo da vida e conseguir investir em algo útil que nos garanta uma reforma mais desafogada, mas nem sempre é possível. Solução? Não faço ideia… Mas gostaria de saber.

Como devem calcular e sobretudo se tiveram paciência para ler este meu texto, é bastante complicado decidir se devemos comprar casa ou alugar casa. A minha conclusão é que irá depender bastante da situação económica da pessoa, das suas ideias para o futuro, do seu estilo de vida e das suas ambições para constituir ou não família. Estarei errado? Não faço ideia. O que pensam vocês sobre o assunto? O que será melhor? Deixem a vossa opinião.

Contribuição de S.Martins:

Esta comparação, como praticamente todas as que já vi antes, ignoram por completo um pormenor fundamental: existe o chamado custo de oportunidade associado a um investimento e normalmente, toda a gente que defende a compra não pensa nisto. O custo de oportunidade é o que se deixa de poder ganhar ao fazer um investimento. No caso da compra da casa, por cada valor que é usado para amortizar (uma parte da prestação) deixa-se de receber juros caso se colocasse esse dinheiro a render num depósito a prazo ou outra aplicação financeira. Portanto, quando a casa estiver paga, ainda que não exista mais prestação, além dos impostos e custos de manutenção, existe um valor que deixou de se poder ganhar porque se tem um valor grande investido em património, e este valor não deve ser menosprezado e deve também ser tido em conta quando se está a comparar a compra com o valor de uma renda.

Deixar um Comentário

2 Comments em "Comprar casa ou alugar casa?"

Notify of
avatar
Sort by:   newest | oldest | most voted
António Silva
Visitante

Muito bom o tema!parabéns

wpDiscuz